Power One Piece
Bem-vindo!
Bem-vindo!

Seja muito bem-vindo ao fórum de RPG voltado para o mundo de One Piece! Aqui você pode criar seu personagem e aventurar-se pelas ilhas, interagir com outros jogadores e mais!
Últimos assuntos
» Recomeçando, Vagas e Ideias Gerais!
Sex 06 Jan 2017, 3:16 am por Sakoto

» Apresentação de Minha Pessoa
Seg 15 Jun 2015, 1:59 pm por Sakoto

» Ahoy amigos!!!!
Sex 26 Dez 2014, 9:17 am por Sakoto

» Urgente para quem ainda estiver vivo!!!!
Qui 17 Jul 2014, 11:07 pm por macazeus

» Um dia especial
Qui 29 Maio 2014, 8:48 pm por Zaraki

» Sobre o Evento
Sab 17 Maio 2014, 7:41 pm por Hizumy

» Ausência!
Dom 11 Maio 2014, 10:10 pm por macazeus

» [01] Trabalho, espadas e amizade!
Sab 10 Maio 2014, 1:44 pm por Hizumy

» Apresentação Kira
Sex 09 Maio 2014, 8:52 pm por Red D. Bloody

» [Aventura] Primeiros passos rumo ao topo.
Dom 04 Maio 2014, 9:15 pm por Pedro L. Panigassi

Vagas
!Vagas!
1/5
Facebook do POP!
!O Facebook oficial do P.O.P!

Esperamos que visite a nossa página e nos acompanhe diariamente! Além disso, queremos a sua ajuda para espalhar o nosso fórum pelo mundo digital através das redes sociais! Visite a nossa página do "face": Power One Piece RPG!
Parcerias
!Parcerias!

VC Yaoi

Teste de Aprendiz - Orange Shinya

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Teste de Aprendiz - Orange Shinya

Mensagem por Orange Shinya em Ter 12 Fev 2013, 1:45 pm

Orange estava deitado de barriga para baixo no telhado de sua casa lendo o livro "Yane o kayotte" (Através do telhado), na expectativa de que a sua localização fizesse jus pelo menos ao título do livro. Não que ele não tivesse coisas mais importantes para fazer, na verdade, hoje ele deveria estar começando a trabalhar em seu novo emprego. Orange duvidava, todavia, de que seria perdoado por um atraso de três horas. Um bocejo o distraiu de sua leitura, as palavras corriam por seus olhos sem realmente serem absorvidas pelo seu cérebro. Passou um longo tempo refletindo sobre bocejos, bocejou enquanto pensava e se rendeu. Ele nunca se fixava em uma coisa única, sempre divagando em vários pensamentos. Decidido a caminhar, ele saltou do telhado e embora esperasse algum atrito com o chão pelo pulo mal calculado certamente não esperava o que viria a seguir :

"Plaft!", houve uma colisão. Ainda em pleno ar, Orange foi atingido no estômago por uma cabeçada sendo arremessado na direção oposta. Tentando assimilar o que havia acontecido, ele colocou as duas mãos no chão e levantou a parte de cima do seu corpo deparando-se com um garoto de cabelos castanhos aparentemente atônito pelo ocorrido, afinal não é todo dia que você vê pessoas saltando de telhados.

"Ei, você está bem?", Orange perguntou antes de perceber a resposta óbvia. O rapaz não estava simplesmente correndo por correr, logo atrás dele, embora um pouco distantes, estavam alguns marinheiros bem furiosos. "Oh, droga. Levante-se caso não queira dormir atrás das grades.", Orange falou para ele estendendo a mão. O desconhecido agarrou a mão estendida pelo recém-conhecido e foi imediatamente puxado.

"Mas, desse jeito você vai virar cúmplice.", falou o rapaz preocupado, já correndo com as próprias pernas. Orange olhou para trás e sorriu displicente, era o que ele precisava para sair da tediosa rotina. Os marinheiros não poderiam atirar enquanto houvesse a possibilidade de ferir civis e por ironia do destino Orange também era um civil.

Dobraram em direção ao porto correndo rapidamente, despistando temporariamente os marinheiros, então Orange viu um bote amarrado ao porto. ”Pode ir, eu vou falar com os marinheiros”., ele falou, parando de correr e se virando para a direção contrária
O rapaz parecia envergonhado : ”Como eu vou poder te agradecer?”, ele gritou enquanto desamarrava o bote. Ainda de costas, Orange estendeu o braço para o lado, deixando à mostra o dorso da mão e levantou o polegar. Quando os marinheiros chegaram, ele contou que havia sido feito de refém e no final, os marinheiros o liberaram por falta de provas de que ele era companheiro do misterioso rapaz que havia fugido naquele dia.

- Dois meses depois -


Orange ouviu uma batida em sua porta. “Provavelmente é algum vendedor idiota.”, pensou Orange com desdém. Ultimamente o comércio havia proliferado na cidade e vários vendedores estavam tentando firmar os seus pontos de venda de qualquer forma. Aos malsucedidos, só restava bater de porta em porta implorando para alguém comprar os seus produtos. Orange se levantou vagarosamente do sofá em que estava deitado, estava lutando contra o ócio e perdendo. Após alguns minutos, e mais batidas insistentes, ele se dirigiu até a porta, rodou a maçaneta e a abriu. Para a sua surpresa, não era um vendedor. Se ele tivesse cem tentativas para adivinhar quem estava batendo na porta, essa pessoa certamente seria a vigésima opção. Do outro lado da sua soleira estava o rapaz que ele havia gentilmente auxiliado em uma fuga. Certamente ele estava mais bem cuidado do que no dia em que eles se conheceram, agora usava um longo casaco e um chapéu para cobrir o rosto. O que havia de mais aterrorizante na sua aparência era a pistola que ele carregava na cintura, ao seu redor haviam várias pessoas, provavelmente seus parceiros ou cúmplices.

“Eu estou indo para a Grand Line tentar a sorte como um pirata, mas antes precisava te agradecer.”, ele falou, sorrindo amistosamente.

“Você não precisa me agradecer. Apenas fique rico o suficiente para voltar aqui e me pagar um almoço.”, Orange sorria. O rapaz estendeu a mão, como Orange havia feito no dia em que se conheceram, e eles trocaram um aperto firme como prova de uma recém-formada amizade um tanto inusitada. Após o rapaz sair, Orange decidiu o que fazer, seus dias de acomodado acabariam ali e ele daria uma despedida digna para o seu amigo que, agora ele percebia que eles não haviam perguntado o nome um do outro.

Arrumou algumas coisas na sua mochila e partiu correndo para o porto, no horizonte ele já via um navio médio com uma bandeira pirata indo embora. Ainda havia, porém, um pequeno bote amarrado ao porto. Nem em um milhão de anos haveria uma coincidência desse tipo. Destino? Orange não acreditava nisso. Seu amigo sabia que ele também iria querer partir e deixou aquele bote para que Orange trilhasse pelo mesmo caminho.

Orange se virou e olhou para a base da marinha completamente imponente, um símbolo de poder que todos deveriam temer. “Marinha? Pois sim. Eu vou mostrar a eles quem manda no mar.”, pensou ele, antes de desamarrar o bote e partir para o mar assim como o seu primeiro amigos que, meses atrás partia pelo mesmo porto e hoje estava em vias de se tornar um grande pirata.



off:

O livro que eu coloquei no começo é fictício.
avatar
Orange Shinya
Civil

Mensagens : 53
Pontos : 73
Reputação : 0
Data de nascimento : 07/06/1996
Data de inscrição : 12/01/2013
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste de Aprendiz - Orange Shinya

Mensagem por Nico em Ter 12 Fev 2013, 2:17 pm



Parabéns, aprovado. Gostei bastante da narração, simples e prendeu o leitor ao personagem.

Bom, ao que deu-se à entender você está aproveitando para sair da ilha, então poste apenas a sua entrada em alguma outra do mesmo Blue em que estiver, afinal o bote inicial só aguenta uma simplória viagem e ''quebra-se''. Ganhastes 100.000B, crie um [Somente administradores podem ver este link] e deposite. Para escolher tua classe basta ir no tópico [Somente administradores podem ver este link]. Lembre-se, classes são: Lutador livre, espadachim, atirador, navegador, cozinheiro, médico, arqueólogo, construtor e músico. Karmas como pirata, marinheiro, revolucionário ou caçador de piratas devem ser obtidos por meio dos seus atos nas narrações do RPG.
avatar
Nico
Caçador de Recompensas

Mensagens : 1027
Pontos : 1248
Reputação : 18
Data de nascimento : 30/01/1998
Data de inscrição : 25/10/2012
Idade : 19
Localização : -X-

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum